quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Proibir é o caminho?! O mais fácil, talvez...

Como vocês sabem, eu não sou de comentar política, projetos de leis e afins. Mas tem hora que simplesmente não é possível ficar sem exprimir uma opinião. Vamos ao que interessa.

Sim, sou eu na garupa da moto... Foto: Gustavo Epifanio

Na noite de ontem, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou um projeto de lei de autoria do excelentíssimo deputado Jooji Hato, que quer proibir garupa em motos, em dias de semana, em cidades com mais de 1 milhão de habitantes.

Segundo o político, a medida visa diminuir o número de acidentes e combater o crime (?!).

O que mais me revolta é o que disse o senhor Jooji Hato: ‎"Quero ver se os marginais vão assaltar a pé, de bicicleta ou de carro". Sobre o projeto de lei e o que disse o deputado em questão só tenho uma pergunta: todo motociclista é marginal, bandido e maloqueiro?!

É claro que existem muitos "motoqueiros" bandidos, assim como também tem "marginal" que anda de carro por aí, mas generalizar não é o caminho, e é isso que fode (com o perdão da palavra)!

E agora a culpa da criminalidade e do caos que é o trânsito de São Paulo é dos motociclistas? Todos eles?! Não se fala em melhorar o policiamento. A verdade é que São Paulo está sofrendo um inchaço, em vários aspectos, e não está preparada para isso. Precisa de faixa exclusiva para motos, ciclovia, conscientização do pedestre e dos motoristas em relação aos pedestres, etc, etc.... O que está faltando no trânsito da cidade de São Paulo, antes de mais nada, é respeito.

Como bem me lembrou Leonardo Bussadori, um amigo e motociclista, sobre a questão da segurança: "o que vai ajudar a diminuir as estatísticas de acidente é criar leis normalizando uso inteligente da moto: luvas, botas, jaquetas. Leis que limitem a capacidade de inexperientes pegarem motos maiores do que podem pilotar. Hoje, você pega uma CNH e pode pilotar desde um scooter até uma 1000cc. Além de maior fiscalização".

Proibir é o caminho?! O mais fácil, aparentemente...

Um comentário:

Magaly disse...

Concordo com seu ponto de vista e você deixou bem claro aonde existem falhas.... e muitas por sinal.
Neste caso, este projeto de lei deve ser revisado...