terça-feira, 25 de janeiro de 2011

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

"The Negotiator"

Um filme policial envolvente e de muita ação. "The Negotiator", traduzido porcamente para o português como "A Negociação", em vez de "O Negociador", foi lançado em 1998, há 13 anos, mas continua agrandando os adeptos dos filmes policiais.
O protagonista é Danny Roman, um negociador da polícia de Chicago especialista em sequestros, interpretado por Samuel L. Jackson. A ação começa quando Roman é incriminado por uma armação policial, envolvendo o roubo do fundo de pensão e também o assassinato de seu parceiro.

A partir daí, Roman decide trocar de papel e passa a ser o sequestrador, tomando o Chefe da divisão de Assuntos Internos da polícia de Chicago como seu refém. Neste momento a tensão cresce e o filme fica cada vez melhor. Para lidar com esse "sequestro", Roman avisa que apenas conversará com outro negociador especialista em sequestros, o nome dele é Chris Sabian, interpretado por Kevin Spacey.

O resto você vai ter que descobrir assistindo ao filme. Confira, pois vale a pena!


Direção: F. Gary Gray
Título original: The Negotiator
Elenco: Samuel L. Jackson, Kevin Spacey, David Morse, John Spencer, Paul Giamatti
Duração: 139 min
EUA, 1998

Foto: Reprodução

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O Informante: no mínimo estimulante

Uma empresa de tabaco, um cientista e um jornalista se envolvem no conflito que será o mais importante de suas vidas

O filme nos mostra a trajetória do ex-chefe de Pesquisa e Desenvolvimento de uma empresa de tabaco, Jeffrey Wigand (Russell Crowe) e do produtor do programa ‘60 minutes’ da rede norte-americana CBS, Lowell Bergman (Al Pacino). Com o receio de que Wigand revelasse informações sobre os males que as empresas de tabaco sabem que colocam em seus produtos para viciarem os consumidores, a Brown & Williamson decide destituí-lo do cargo de vice-presidente que ocupava na empresa. Ao ser demitido da Brown & Williamson, Wigand assina um contrato de confidenciabilidade que a princípio não tem intenções de infringir.

Eis que as vidas de Wigand e Bergman se cruzam em favor de uma questão de saúde pública. Bergman precisa da ajuda de Wigand como seu consultor para explicar documentos científicos de uma empresa de tabaco para uma matéria de seu programa. Uma série de eventos leva Wigand a considerar a quebra do contrato de confidenciabilidade assinado junto à Brown & Williamson, colocando-o contra uma grande empresa multinacional. Wigand é, de certa forma, pressionado por Lowell Bergman a revelar os segredos da empresa de tabaco, mesmo que isso acarretasse graves problemas para o cientista.

Um tema possível de discussão é a liberdade da imprensa para influenciar ou pressionar as pessoas. Qual seria o verdadeiro direito da imprensa: exercer uma grande pressão sobre um cidadão para obter aquilo que necessita para colocar uma matéria no ar ou respeitar os limites das pessoas mantendo-se ético? A grande questão que está lançada é a responsabilidade social.

Todos têm um papel na sociedade e devem cumpri-lo da melhor forma possível, visando sempre o bem. Outro fator que também está em jogo é o da integridade e objetividade, tanto por parte do jornalista quanto do cientista. Ao passo que o jornalista preocupa-se muito mais com a objetividade, o cientista volta sua preocupação para sua integridade.

Pode-se perceber que no envolvimento das pessoas num grande e importante conflito há um interesse comum: a busca pelo poder. Está evidente que Bergman, ao incentivar Wigand a conceder uma entrevista revelando os segredos da Brown & Williamson, quer se destacar e, conseqüentemente, concentrar mais poder em si.

“O Informante” é um filme envolvente e eletrizante, com momentos de suspense e tensão que só irão fazer com que fiquemos mais ligados a cada detalhe. Espetacular atuação de Russell Crowe em conjunto com Al Pacino. Merece atenção dobrada.

Direção: Michael Mann
Título original: The Insider
Elenco: Al Pacino, Christopher Plummer, Russel Crowe
Duração: 157 minutos
Censura 14 anos
EUA, 1999.

Foto: Reprodução

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo!

Parecia que não ia passar nunca. 2010 começou vagaroso, cheio de coisas para se fazer. Último ano de faculdade, TCC, estágio novo, muitos desafios pela frente...

Mas, como acontece todo ano (e mesmo assim nos surpreendemos sempre), o ano começou a voar! Tudo acontecendo muito rápido na faculdade, e no trabalho então, nem se fale. Quando parei para respirar, já havia apresentado a banca do meu TCC e só me restava um mês de estágio. Puxa! Parece que foi ontem.

E aquele mês de estágio que restava, já não resta mais. Aqui estou, formado... só me falta colar grau e pegar o diploma. E agora? Chega de brincar de estudante (a pós vai esperar um pouco), agora é hora de ser gente grande, de brincar de ser adulto.

Que 2011 seja ainda melhor que 2010, que obtenhamos mais sucesso e êxito em nossas vidas, tanto no lado profissional como no pessoal.

Vida nova, ano novo, idade nova (completei 23 anos no dia 2/1), desafios novos e lutas novas. Tudo novo. Tudo de novo. Que assim seja!

Feliz 2011!