quinta-feira, 19 de junho de 2008

Deutschland! Deutschland!

O primeiro jogo das quartas-de-final foi emocionante. Poucos acreditavam na capacidade da Alemanha, que "quase" não conseguiu a classificação. Muitos enalteciam o futebol apresentado por Portugal. Mas o que vimos hoje foi a vitória da Alemanha sobre Portugal pelo placar de 3 a 2.

A Alemanha começou o jogo melhor que a seleção lusitana, pressionando a saída de bola com forte marcação. O time comandado por Felipão estava parecendo perdido em campo, meio acuado. E os alemães perceberam isso e tiraram proveito logo aso 21 minutos do primeiro tempo. Após boa jogada Podolski cruzou na área para a finalização certeira de Schweinsteiger. 1 a 0 para a Alemanha.

Embalados com o primeiro gol, os alemães ampliaram a vantagem 5 minutos depois. Klose aproveitou cruzamento de bola parada, subiu sozinho e cabeceou para o fundo das redes do goleiro Ricardo, que nada pôde fazer. Nuno Gomes ainda conseguiu diminuir a vantagem no final do primeiro tempo, aos 39 minutos, após pegar o rebote dado por Lehmann depois de belo chute de Cristiano Ronaldo.

O jogo começava a ficar dramático para os portugueses, que sofreram o terceiro gol aos 16 minutos do segundo tempo. Dessa vez foi o capitão Michael Ballack quem cabeceou para dentro do gol português. Os lusitanos conseguiram diminuir a vantagem com Hélder Postiga aos 41 minutos, mas já era tarde demais. Alemanha avança para a semifinal e elimina o time português.

Com essa derrota a seleção portuguesa foi eliminada e deu adeus à Euro 2008 e também ao técnico Felipão, que assinou contrato com o Chelsea da Inglaterra. Já a Alemanha aguarda a seleção vencedora do confronto de amanhã entre Croácia e Turquia. Grandes chances de a seleção alemã cruzar novamente com a Croácia, que conseguiu vencer os alemães e deixá-los numa situação não muito confortável na primeira fase.

Um comentário:

saber demasiado é envelhecer antecipadamente disse...

Eu esperava bem mais de Portugal (e bem menos da Alemanha)... com Portugal fora, a Holanda leva essa (ou não...)